Home / Notícias 2012 /

'De mala e cuia', gaúchos se mudam para Acampamento Farroupilha

 

No mês de setembro alguns gaúchos trocam de casa. Não vão para um hotel cinco estrelas. O Acampamento Farroupilha é o destino. Foi o que aconteceu com Alberto Einsfelt e William Pereira. Ambos moram na cidade de Alvorada, na região metropolitana de Porto Alegre, mas estão desde o dia 18 de setembro no Acampamento Farroupilha, na capital do Rio Grande do Sul.

Os amigos são os responsáveis pela organização do piquete A Ferro e Fogo. Ajudaram na montagem do galpão e cuidam do local enquanto a Semana Farroupilha não começa oficialmente, dia 7 de setembro.

O senhor Alberto já avisou a esposa que ficará um mês fora de casa. Ela pode até vir visita-lo umas duas vezes por semana, mas já deixou bem claro que não abandonará sua residência temporária.

"Pode dar enchente, acontecer o que for aí fora. Aqui temos estrutura para ficar uns 30 dias", conta, mostrando a comida guardada na cozinha improvisada.

Ali mesmo, na cozinha, ele se prepara para esquentar a massa para o almoço, prato chamado por ele de "sorobo", referindo-se ao que sobrou da janta da noite passada. Porém, já está em contato com os amigos por telefone para saber quem vem jantar e calcular a quantidade de comida que precisará preparar na próxima refeição. O cardápio já foi definido: tainha assada.

Alberto reclama apenas do preço do carvão dentro do Parque Farroupilha. Um saco de 5kg é vendido por mais de R$ 10,00. Para evitar o prejuízo, ele separou sobras de madeira da construção do próprio piquete para ajudar no fogo.

O jovem William Pereira, 19 anos, está pelo segundo ano no acampamento. Logo nas primeiras vezes diz que ficou encantado com o movimento de pessoas. Diariamente, durante a Semana Farroupilha, frequentam o Parque pelo menos 10 mil pessoas, mais do que a população de muitos municípios. William também pretende ficar no Parque durante mais de um mês. Apenas nas segundas-feiras ele deixa o local, volta para a cidade de Alvorada onde estuda administração de empresas e inglês, mas não fica muito tempo longe do Piquete.

"Na segunda-feira mesmo eu já volto. Estudo de manhã e de tarde, e volto de noite", avisa.

Os dois aguardam ansiosos pela abertura oficial da Semana Farroupilha. De noite, cerca de 15 a 20 amigos visitam o Piquete para jantar. A partir de sexta-feira, a movimentação será maior. O show de uma dupla de música tradicionalista está marcado. Chega a faltar espaço dentro da casa.

"Aí o pessoal fica aqui dentro, ao redor das mesas, mas muita gente tem que ficar do lado de fora", conta William.

A Semana Farroupilha é comemorada do dia 7 ao dia 20 de setembro no Rio Grande do Sul. O período serve para lembrar a Revolução Farroupilha, movimento de revolta civil que ocorreu no estado entre 1835 e 1845 e que teve como marco inicial o dia 20 de setembro de 1835. Desde então, a população local aproveita o mês de setembro para exaltar atividades relacionadas à tradição gaúcha.

fonte:G1

 

 

 

 

 

 

 

 

Manutenção e Atualização: KR Comunicação Integrada