Home / Notícias 2012 /

Turismo Rural

 

Segundo a Embratur, o Turismo Rural é uma atividade desenvolvida no campo, comprometida com a atividade produtiva, agregando valor a produtos e serviços e resgatando o patrimônio natural e cultural da comunidade. Isso significa que, para ser enquadrado como turismo rural, o empreendimento deve ser e não apenas \\\"parecer\\\" um sítio ou fazenda.

O turismo rural é isso e muito mais, um nicho do setor turístico que tem tudo a ver com o Brasil, mas que só agora vem ganhando impulsos significativos, favorecidos pela liberação de linhas de crédito oficiais específicas. No espaço deixado pelos destinos turísticos tradicionais, que em feriados e altas temporadas têm esgotadas com muitos dias de antecedência a capacidade de hospedagem, esses empreendimentos emergem com força.

E se por um lado o turista ganha em diversidade de entretenimento, os municípios, proprietários rurais e até comerciantes das pequenas cidades recebem influências positivas da exploração mais intensa desse nicho. A atividade agrícola, sempre repleta de riscos, inadimplente e atrelada às políticas oficiais passa a conviver com uma outra atividade mais segura e previsível, em que a profissionalização é a chave para vender e agradar com um tipo de produto que não depende da colaboração de São Pedro.

No Brasil, no entanto, há anda um vasto campo a ser explorado, a julgar pela realidade do turismo rural em países europeus que estão entre as maiores referências de destinos turísticos do planeta. Na Espanha, França e Itália, por exemplo, esse segmento já é considerado um dos dois mais importantes, só perdendo, geralmente para o turismo histórico.

Passar uns dias na fazenda é uma atividade ao mesmo tempo relaxante para quem tem alguma ou toda afinidade com o campo e inusitada para grande parte das crianças e adolescentes das cidades grandes. Muitos só vêem pela primeira vez uma vaca ou uma galinha viva e em seu 'hábitat', aos 15, 16 anos de idade. Há ainda a chance de experimentar sem correria a culinária caprichada e original do campo.

O grande segredo está em conseguir mostrar ao turista o que ele quer ver. Esses fatores foram diagnosticados por algumas pesquisas, e estão resumidamente citados abaixo:

• gastronomia típica, saborosa e higiênica;
• Atividades produtivas que caracterizem a propriedade;
• Beleza natural da propriedade;
• Opções de atividades para os hóspedes acompanharem a rotina da propriedade;
• Contato com a cultura e a tradição local;
• Acesso fácil;
• Possibilidade de compra de produtos típicos, entre outros.

Esse visitante espera uma certa rusticidade das instalações, mas que nada tem a ver com sofrimento e falta de higiene. A cultura urbana pede um bom banho, roupas de cama limpas e por que não, uma cervejinha gelada no final da tarde.

Tudo isso deve ser oferecido com um atendimento familiar e amigo, valorizando a autenticidade do local e proporcionando uma grande integração entre o visitante e o dia a dia na fazenda. Essa atividade deve estar em harmonia com a comunidade local e com o meio ambiente. No turismo rural, o turista pode participar das diversas atividades agropecuárias do estabelecimento como meio de lazer ou aprendizado.

Se você está à procura de tranqüilidade, de natureza e de ar puro, aproveite seu final de semana, um feriado ou suas férias para sair da cidade e desfrutar a natureza com a sua família. Dentro do nosso país, são inúmeras as oportunidades oferecidas por pousadas, hotéis fazenda, spas e estâncias hidrominerais para a prática do turismo rural.



 

 

 

 

 

 

 

 

Manutenção e Atualização: KR Comunicação Integrada